Feijão Tropeiro

FEIJAO-TROPEIRO

O Brasil nem sempre foi cortado de norte a sul por estradas de rodagem, assim como nem sempre teve um supermercado em cada localidade. Isso quer dizer que tudo o que hoje conhecemos como comércio era feito por viajantes, mascates e afins, que cruzavam estados e regiões inteiras em comitivas responsáveis por abastecer mercearias e conduzir rebanhos de todos os tipos. A alimentação dessas pessoas era baseada no tipo de comida que poderia ser preparada no ermo com os poucos ingredientes disponíveis. Essa é uma das origens do feijão tropeiro, receita que combina feijões cozidos, carnes curadas e defumadas, farinha de mandioca e temperos numa mistura saborosa e reforçada. O poeta e compositor mineiro Itamar Aguiar conta que a consistência firme dos grãos de feijão usados no prato se deve à dificuldade de amassá-los, junto ao caldo, no caldeirão que balançava no trempe sobre o fogo. Conta também que antes de ser conhecido como feijão tropeiro, já foi chamado de feijão bago bago – isso porque, como os grãos não se desmanchavam, eram comidos inteiros, “bago a bago”.

INGREDIENTES

250 gramas de feijão bolinha
1 folha de louro
3 colheres de sopa de banha suína
1 cebola picada
5 dentes de alho picado
200 gramas de carne seca, dessalgada, cozida e desfiada
200 gramas de linguiça calabresa defumada fatiada cortada em meias rodelas
300 gramas de linguiça fresca desmanchada
150 gramas de bacon em cubinhos
3 ovos
1 e ½ xícara de chá de farinha de mandioca biju
1 maço de couve picada
Cheiro verde a gosto
Sal a gosto

MODO DE PREPARO

Cozinhe o feijão com a folha de louro em ponto firme. Em uma panela grande aqueça a banha e frite bem o bacon, a linguiça fresca e a linguiça calabresa.

junte a cebola, o alho e refogue.

Acrescente a carne seca e doure por alguns minutos.

Abra um espaço no centro da panela, coloque mais um pouco de banha, frite os ovos mexidos e misture tudo.

Adicione a couve picada e refogue rapidamente.

Coloque o feijão cozido sem o caldo, a farinha de mandioca, misture bem e finalize com cheiro verde.

Confira o vídeo:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email

Quem curtiu essa receita também viu...

mingau pitinga

Mingau Pitinga

O mingau pitinga é um prato centenário que tem origens indígenas e influências africanas. Seu nome vem do tupi: apé tínga, podendo significar “algo branco”;

Leia Mais +
Vaca Atolada

Vaca Atolada

A vaca atolada, prato que remonta aos cozidos de antigamente, é conhecido de norte a sul do país. O que não quer dizer que todas

Leia Mais +

Mané Pelado

O nome pode até ser engraçado, mas o bolo de tabuleiro feito principalmente de mandioca, queijo e coco é pra lá de delicioso. O charme

Leia Mais +

Comente com seu Perfil do Facebook